Ano/ País:  Inglaterra, 2010
Direção: Jim Loach
Elenco: Emily Watson, Hugo Weaving, David Wenham, Tara Morice

Sinopse: Na Inglaterra nos anos 80 uma assistente social descobre uma aterradora estória do passado de seu país envolvendo autoridades do governo num esquema de tráfico ilegal de crianças para a Austrália. 

Cotação: 

***

 


Interessante como Jim (filho do renomado cineasta Ken Loach, vencedor da Palma de Ouro em Cannes por Ventos da Liberdade) herdou o legado do pai já em sua estreia como diretor em Laranjas e o Sol. O filme segue a linha do cinema engajado, que é a marca registrada da filmografia do pai, que sempre pautou suas obras em denúncias políticas e sociais. A história verídica da assistente social Margaret Humphreys (aqui defendida por Watson, que não apresentava uma atuação tão marcante desde Ondas do Destino) caiu como uma luva para seu début.

Nottingham, final dos anos 80. A dedicada assistente social Margaret é procurada por uma jovem australiana que alega ter nascido na Inglaterra e ilegalmente deportada para a Austrália juntamente com outras crianças totalmente desacompanhadas de suas famílias. Disposta a investigar o caso, Margaret acaba descobrindo um terrível esquema de tráfico “consentido” praticado no passado por autoridades de  seu país, quando crianças órfãs, pobre e geralmente filhos de prostitutas e mendigos eram deportadas compulsoriamente para os países colônias do Reino Unido, onde estavam predestinadas a conviver com rotinas de abusos físicos e psicológicos. Quando o escândalo vem à tona, um grupo de adultos que fazia parte das crianças traficadas formam uma organização para apoiar e financiar a busca por suas famílias perdidas. A exposição do escândalo e a pressão da opinião pública sobre os governos da Inglaterra e Austrália começam a incomodar e colocam a vida de Margaret em risco, já que ambos tentam desacreditar seu trabalho. O filme apresenta mais uma daquelas emocionantes histórias de coragem e de luta de uma pessoa comum contra uma corporação e traz à tona um fato polêmico e pouco conhecido do grande público. Destaque para a atuação comovente de Weaving, em especial na cena em que pede ajuda a Margaret para reencontrar a mãe que nunca conheceu. É quase impossível segurar as lágrimas.

por Valdeci Oliveira
Anúncios